Útero Retrovertido

quarta-feira, janeiro 23, 2013

Lá que vai a tentante toda feliz fazer uma ultra e quando leva os resultados para o médico descobre que tem o útero retrovertido (invertido, reverso, virado). Pronto! Pânico no ar! Como assim? O que é isso? Como vou engravidar com o útero virado?

Ter o útero retrovertido significa que ele está posicionado em seu corpo voltado para trás e não fletido sobre a bexiga (voltado para frente) como na maioria das mulheres.


Cerca de 1 em cada 5 mulheres apresentam o útero retrovertido e para muitos médicos esta situação não é considerada uma anormalidade, você nasceu com ele assim e isso deve ser visto como algo normal pois na grande maioria dos casos em nada interfere na condição física da pessoa. 

Antigamente ter o útero retrovertido era sim um diagnóstico ruim, pouco se sabia sobre o assunto e outros diagnósticos que podem dificultar uma gestação, e a culpa era do útero. Hoje em dia isso caiu por terra. O único inconveniente para as mulheres que possuem o útero retrovertido é que são mais suscetíveis a apresentar endometriose, já que a posição do útero pode dificultar o escoamento da menstruação pelo orifício do colo. Mas isso não quer dizer que toda mulher com útero retrovertido terá endometriose, ou seja, as chances de gravidez são as mesmas!

Então agora que já sabemos que o útero retrovertido por si só em nada atrapalha uma gestação vamos falar um pouquinho sobre as gravidinhas com esse tipo de útero.
Antes de mais nada é preciso saber que existem dois tipos de útero retrovertido, o móvel e o fixo (ambos são diagnosticados pelo médico mediante aos sintomas e exames):
  •  Útero retrovertido móvel: geralmente não acarretam sintomas, eventualmente algumas mulheres podem sentir dor fraca no período menstrual, pós-menstruação e leves desconfortos em algumas posições sexuais. A gravidez de mulheres com útero retrovertido móvel transcorre de maneira normal, sem intercorrências.
  •  Útero retrovertido fixo: Esse sim é um pouquinho mais chato. Sintomas mais comuns:
  • - dor crônica pélvica ou lombo-sacro ( dor no quadril, a chamada dor nas cadeiras)
    - dor que surge no ato sexual e que frequentemente permanece por horas após a relação
    - fortes cólicas menstruais
    - dor ao evacuar 

    - dor ao urinar
As gravidinhas com útero retrovertido fixo, podem apresentar retenção urinária (dificuldades para urinar), entre o terceiro e quarto mês. Passada essa fase a gravidez os sintomas desaparecem e ela transcorre normalmente como em qualquer posição uterina.

Portanto amadinhas, espero que fiquem tranquilas com relação ao útero retrovertido, ele por si só como eu disse acima não é sinônimo de infertilidade. Vejo muitas meninas dizendo por aí que não conseguem engravidar porque tem útero retrovertido. Eu também tenho, e aqui estão meus dois filhos amados provando que ele não é problema! 

Beijos ovuladinhos e mega férteis


Quer falar comigo? Então envie um e-mail para: contato@diariodatentante.com ou preencha o formulário clicando aqui

Leia também

0 comentários

Se você não tem blog e não quer comentar anonimamente pode escolher em publicar comentário usando nome e URL, no campo URL coloque o endereço do site aqui do Diário: www.diariodatentante.com